Seu antivírus para Android pode não servir para nada; confira os reprovados – 17/03/2019 – UOL Tecnologia


https://noticias.uol.com.br/tecnologia/noticias/redacao/2019/03/17/seu-antivirus-para-android-pode-nao-servir-para-nada-veja-app-reprovados.htm

Confira a lista dos fornecedores de aplicativos reprovados
1 Machine System Sdn Bhd
Actionappsgamesstudio
Amantechnoapps
AMIGOS KEY
Amnpardaz Soft
AndroHelm Security
ANTI VIRUS Security
Antivirus Mobile Lab
Antivirus security
Appflozen
Appsshow
Appzila
Arcane Security Solutions
AS team security phone Lab
Asuizksidev
Ayogames
AZ Super Tools
Azemoji studio
Baboon Antivirus
BESapp
Best Battery Apps
Best HD Wallpapers APPS
Best Tools Pro
BestOne
Bit Inception
BKAV
Bom Bom
Booster studio Laboratory Inc.
Brouno
Bulletproof AV
Caltonfuny Antivirus Phone
Cheetah Mobile
CHOMAR
Chromia
Cloud 7 Services
Core Antivirus Lab
CPCORP TEAM: Photo blur & photo blender
CreativeStudioApps
CY Security
Defenx
DefineSoft
DreamBig Studios
DU Master
Electro dev
Erus IT Private Limited
Falcon Security Lab
Fast n Clean
Fluer-apps.com
Formation App
Free Apps Drive
FrouZa
Galaxy TEAM
GameXpZeroo
GlobalsApps
GndnSoftware
GOMO Apps
GoNext App Developers
Gridinsoft
LLC
Handy tools apps
Hello Security
Immune Smart
INCA Internet
InfiniteWays007
Islamic Basic Education
Itus Mobile Security
JESKO
Jixic
Kolony Cleaner
Koodous Mobile
lempea
LINE
LIONMOBI
Live multi Player Game
Main Source 365 Tech
Mama Studio
MAN Studio
Marsolis Tech
Max Antivirus Lab
Max Mobi Secure
MaxVV
Mob Utilities
Mobile Tools Plus
Mobtari
Mond Corey
M-Secure
MSolutions
MSYSOFT APPS
My Android Antivirus
NCN-NetConsulting
Nepelion Camp
Nisi Jsc, Niulaty
NP Mobile Security
NPC Studios
Omha
Oxic Studio
Pix2Pic Studio
Playyourapp
Pro Tool Apps
Prote apps
Protector & Security for Mobile
Puce
Radial Apps 2018
RedBeard
Secure Cloud
SecureBrain2
Security and Antivirus for Android solutions
Security Apps Team
Security Defend
SECURITY LAB
Security Systems Lab
SecurityApplock
Sept Max
ShieldApps
SjaellSoft
SkyMobileTeam
Smart Battery Solution & Creative Screen Lock
Smarteazyapps
Software Center
Soft War
Stmdefender
Systweak Software
TAIGA SYSTEM
Tokyo Tokyo
Tools dev
Tools for android
Utilitarian Tools
Vainfotech
VHSTUDIO
Vikrant Waghmode
Virinchi Software
Virtues Media & Application
VSAR
Wingle Apps
Xtechnoz Apps
XZ Game
Z Team Pro

Deixe um comentário

Arquivado em JEITO FEMININO

TEXTO DE NAIARA LUTCKMEYER MUELLER – Bernardo Boldrini Uglione


11 de Março de 2019.
Julgamento dos Assassinos do Pobre Menino Milionário
É hoje bebê!!! Chegou o dia tão esperado, meu amor!!
Bernardo Boldrini Uglione, em dezembro de 2013, então com 9 anos, sozinho, molhado, sujo, faminto, e exausto entrou pela porta do Centro de Defesa e Direito da Criança na cidade de Três Passos RS, reclamando de fome, falta de atenção e maus tratos. Suas palavras segundo o conselheiro, já de cara, foram exatamente essas; “lá, naquela casa ninguém me dá bola, estou sempre com fome, todo mundo come na rua, meu uniforme da escola está sempre sujo. Eu preciso de uma família que cuide de mim”. E sob olhar permissivo dos inoperantes responsáveis pelo atendimento da casa, o pequeno saiu pela mesma porta, sozinho, sujo, mais faminto, mais exausto e mais desesperançoso.
Haviam lhe dito: Nada podemos fazer, vc foi examinado, não tem marcas, hematomas nem cicatrizes, não temos provas, não podemos te recolher. Por pura falta de interesse faltou exame para cicatrizes interiores e por pura conveniência foi lhe negado credibilidade. Não acreditavam que a empregada era proibida de cozinhar para Bernardo, que estrategicamente cumpria o horário na ausência do pequeno, como não acreditaram que Bernardo não fez a comunhão no Domingo anterior, pq a madrasta negou-se a comprar a roupinha branca que a igreja oferecia, assim como não acreditaram que seu quarto ficava nos fundos da bela e espaçosa casa, ornado com móveis surrados, brinquedos quebrados, sem tv nem computador, uma pequena janela e uma lâmpada fraca incandescente. Não acreditaram que Bernardo era proibido de chegar perto ou pegar no colo a irmãzinha de dois anos, nem que seu pai chamava ele pro “pau no mano a mano”, não acreditaram que Bernardo ficava na casa de amiguinhos durante finais de semanas e feriados enquanto o pai, Conhecido médico levava sua nova família à passeios prolongados. Não acreditaram que o pai nunca compareceu na sua escola pra prestigiar qquer evento que ele tivesse envolvido. Nem que ele usava a mesma mochila desde o primeiro ano primário. Não acreditaram que o menino nunca andou na garupa de nenhuma das motos possantes. que o pai teve desde o seu nascimento. Muito menos acreditaram que a madrasta referia-se a sua mãe falecida como “aquela vagabunda”. Melhor arrimar o descaso, no sempre vergonhoso beneficio da duvida. Ainda que para um conselheiro tutelar, isso é fato constante. Se não fosse, não teria então motivo para esse cargo existir.
Bernardo há 5 anos vinha morrendo em vida, desde o suposto suicídio misterioso de sua mãe, pedia ajuda a todo mundo, professores, vizinhos, tios, primos, comerciantes, colegas e até aos garis que viam todos os dias Bernardo vagando pelas ruas da pequena Três Passos. Todos eram solidários situacionistas do sofrimento de Bernardo, e todos deveriam hj tb ter uma cadeira de réu cúmplice no fórum de Três Passos. Todos passavam a mão em sua cabeça, lhe alcançavam um sanduiche, um brinquedo velho, uma bolacha, um moletom, uma laranja, um guarda chuva, um iogurte, uma toalha, um boné, um par de meias secas, um picolé. Ações sempre seguidas de abraços. Todos sabiam de seu desespero e a paixão que tinha por chamegos. Todos, da escola aos mercadinhos, amavam Bernardo. Sentiam sua infelicidade, lamentavam sua dor de abandono. Todos odiavam aquela situação. Todos amariam se aquilo acabasse. Mas o apego a em manter a paz em suas esferas e universos, sempre falou mais alto. A preguiça para um possível mal estar. Uma indisposição, um bate boca, um inimigo. Será? pra quê Depois tudo se encaixa e nós ficamos desconfortáveis.
Vamos ter que mudar de bairro. Vamos perder esse cliente. Nossos filhos gostam dessa escola. Minha filha trabalha naquele hospital. Eles são sócios do clube. Eles compram carros de mim. Ela faz o cabelo no meu salão.
Melhor deixar assim, vamos ajudar no que podemos.
Estaremos aqui pra ele, enquanto estiver aqui. Combinado? Sim, Claro. Combinado. Em situação de judiação de uma criaturinha, ninguém mete a colherinha. E assim, nenhum espectador foi capaz de acompanha-lo e testemunhar os maus tratos escancarados. Bastaria um único adulto no circuíto, para Bernardo estar hj perto de comemorar os 15 anos, ainda que fosse, no tão sonhado paraíso, abrigo de menores abandonados.
Em fevereiro de 2014, então com 10 anos, Bernardo Ugulini filho de pai algoz, milionário e influente, passou pela segunda vez pelas portas do conselho tutelar da cidade, Nessa ocasião porém, munido de um celular, que até hj ninguém sabe de onde surgiu, com imagens gravadas de maus tratos, escárnio e deboche. O pequeno então apresentou em vídeo o sofrimento infernal que era submetido diariamente por um pai verdugo e uma madrasta tirana. Ainda assim , por pura conveniência foi lhe negado respeito. Bernardo nesse dia, pela mesma porta que entrou, saiu acompanhado pelo pai que foi chamado. Uma semana depois, Bernardo, o pobre menino rico, na presença de um juiz, relapso o suficiente para dispensar o uso de testemunhas, sentou-se frente a frente com um pai debochado e visivelmente tranquilo, tentando vender a situação corriqueira de um pré adolescente revoltado com a perda da mãe, com ciúmes da irmãzinha, e de dificil tolerância com a madrasta.
E como um pequeno adulto, completamente tolido das das despreocupações da infância, Bernardo revindicou humildemente uma chave de casa, ou pelo menos um toldo, para que não mais ficasse no sol e na chuva depois que chegasse da escola, até que os malditos adultos daquela casa chegassem dos seus compromissos de trabalho, jantares chiques e baladas da moda.. Assim com a chave, poderia entrar e se alimentar, com a mesma refeição de sempre, que ele mesmo fazia, miojo, pão tostado, alguma sobra e pipoca, ao invés de ficar perambulando pela cidade. O pai monstro disse sim, e o levou para casa, Bernardo nunca ganhou aquela chave. Ao invés disso um mês depois, Bernardo ganhou um buraco num barranco sujo. Foi ali que o menino rico que brincava com papelão, latas e brinquedos doados, foi enterrado ainda vivo, foi ali que o menino rico que não tomava banho ia sujo para escola e ficava até a noite só com a merenda, teve seu corpo ainda pulsante comido por 7 kls de soda cáustica. Foi ali que o menino rico que ha 5 anos não comemorava aniversários, nunca havia ido no Mac Donalds, nunca havia visto o mar nem ganhado uma bola, e apesar de morar em uma casa com piscina era proibido de entrar, foi jogado com doses cavalares de anestésicos injetados pela madrasta enfermeira do pai, cirurgião plástico renomado no estado do Rio grande do Sul.

Hoje começou em Três Passos o julgamento do pai cirurgião cheirador de cocaína Leandro Ugulini, que administrou as doses cavalares de anestésicos, premeditada, fria e matematicamente, divididas em três seringas. Da madrasta baladeira socialyte Graciele Uguline que injetou os anestésicos. Dos irmão interesseiros comercializados ao demônio por seis mil dinheiros, Edelvânea Wirganovicz que enterrou o menino e Evandro Wirganovicz que cavou o buraco.
Bernardo naquela tarde, foi atraído pela madrasta para o passeio final, achando que ganharia uma tv para no futuro instalar um video game, o sonho que nunca realizou.

A noite daquele mesmo dia, Leandro e Graciele foram para uma balada a fantasia com o tema dos anos 80, Edelvânea foi visitar parentes na cidade vizinha e fazer compras, e Evandro subiu a serra gaucha para uma noite romântica com a namorada.
Poderíamos estar escrevendo aqui, mais no minimo 100 nomes. Os cúmplices que se omitiram. Os cúmplices que hoje aliviam seus remorsos, nomeando praças e ruas com o nome de um anjo, com bichinhos de pelúcia no buraco, com camisetas brancas nas datas e com a mórbida manifestação nos aniversários que esse anjo nunca teve, com bolo, velas, e balões em frente da casa com piscina, a qual Bernardo não era merecedor de se banhar. A morada mais bela do bairro, de gramado impecável onde Bernardo nunca rolou uma bola.
Onde Bernardo foi tão infeliz.
Onde foi indigno de uma festa de aniversário vivo, e pelo lado de dentro da grade.
De onde saiu pra ganhar uma tv, mas encontrou no caminho um buraco pra morrer.
E pensar que essa história pode ficar ainda mais triste, em razão da tolerância com o avesso, a flexibilidade da justiça alicerçada em um código penal roto e mormente o desserviço e a ganância desmedida da advocacia criminal prostituta de bolsos fartos e garimpeira de brechas fáceis.

Naira Lutckmeyer Mueller.

Deixe um comentário

Arquivado em JEITO FEMININO

RECORDAR – James Taylor – Fire and Rain, Live 1970


Deixe um comentário

Arquivado em JEITO FEMININO

MUSEU DA IMIGRAÇÃO – Comida de Herança


Deixe um comentário

Arquivado em JEITO FEMININO

HUMOR COTIDIANO – Registrando a criança


“Tem que dizer o nome da criança??!”

Deixe um comentário

Arquivado em JEITO FEMININO

BRASILEIRO – imita Michael Jackson


Deixe um comentário

Arquivado em JEITO FEMININO

CASO BERNARDO – AS PENAS


Estão sendo lidas as sentenças para os réus.

Bernardo, você morreu porém conseguiu fazer valer o seu direito de cidadão!

15/03/2019

Milena Medeiros

Deixe um comentário

Arquivado em JEITO FEMININO


Deixe um comentário

Arquivado em JEITO FEMININO

Henrique e Juliano – Como É Que A Gente Fica – DVD Novas Histórias – Ao vivo em Recife


Deixe um comentário

Arquivado em JEITO FEMININO

Henrique e Juliano – VEM PRA MINHA VIDA – DVD O Céu Explica Tudo


Deixe um comentário

Arquivado em JEITO FEMININO

TRAIÇÃO – quando a amiga é rival


Deixe um comentário

Arquivado em JEITO FEMININO

PETS – as peripécias de uma gata corintiana


Quando vou arrumar a cama, vez ou outra noto esse quadro… A minha gata branca e preta (daí o apelido “corintiana”) embaixo do protetor de colchão. Adormecida!

Deixe um comentário

Arquivado em JEITO FEMININO

VIOLÊNCIA EM ESCOLAS, há como evitar?


Deixe um comentário

Arquivado em JEITO FEMININO

HUMOR COTIDIANO – ovos de Páscoa vegano


Estou vendendo ovos de páscoa vegano, pra comer de colher… R$70,00

Quem quiser é só chamar… E quem não entender de vida fit, não atrapalhe meu negócio.

Deixe um comentário

Arquivado em JEITO FEMININO

PROJETOS ARQUITETÔNICOS – MINI CASA 20 m² (Jane Willhelm)


Deixe um comentário

Arquivado em JEITO FEMININO