Arquivo da tag: prosa poética

Reblogando Ricardo Cavalcante sobre nunca mais se ver- texto de Tati Bernardi


“Nunca mais se viram, nunca mais se tocaram e nunca mais serão os mesmos. É fácil porque os dias passam rápidos demais, é difícil porque o sentimento fica.” -Tati Bernardi

Nunca mais se viram

Deixe um comentário

Arquivado em JEITO FEMININO, POESIA

Texto de Milena Medeiros – À espera de um amor


Então me diga se ainda tens amor para me ofertar. Já não sou tão desesperada quando antes, em que eu te procurava por aí, nos arrebaldes de minha solidão, Amor. 

Hoje, mais serena, talvez mais velha, sei que estás próximo, em algum lugar, e eu sento-me ao banco da solidão, empunho meu guarda chuva da esperança e te aguardo um pouco mais… talvez ainda não se demore como os anteriores, as paixões que tive, os desamores que se fizeram no tempo…

Sento-me aqui, em silêncio, não te falarei de mim, escutarei de ti, somente.

Não me verás te sorrir pois o sorriso te guardo para os momentos mais lindos que tivermos…

Não recolherás minhas mãos entre as tuas por simples apego, lhes darei elas em companhia nas tardes chuvosas ou ensolaradas, num terno passeio a dois…

Não me ouvirás falar que te amo assim, de repente, sem te conhecer a profundo…

Te falarei de meu amor pelo meu olhar, somente. Pelos meus lábios a procura dos teus… pela minha paixão refletida em minha pele…

Talvez nem saiba ler esses instantes… mas aguardarei que se aprofundes nestas leituras de alma

(Milena Medeiros – 23/02/2013 – online no WordPress- 16:54h)

 

imagem publicada no google+ por Maurizio Del Gaiso

Aguardando o amor

Deixe um comentário

Arquivado em eu sou assim, JEITO FEMININO, milena medeiros, POESIA

Reblogando Ricardo Cavalcante, texto de Marla de Queiroz sobre sedução e disponibilidade afetiva


…Porque você me seduziu completa e absolutamente se fazendo deslumbrante quando não estava disponível afetivamente…
Porque você me roubou a solidão e não me fez companhia…

(Porque eu ainda gostaria de você? Porque quando uma pessoa vai embora, nem sempre o que se sente por ela vai junto…)

Eu quase ainda gosto de você…(Marla de Queiroz)

publicado por Ricardo Cavalcante no Google+

Por quê?

Deixe um comentário

Arquivado em JEITO FEMININO

Reblogando APENAS SENDO – sobre tristezas e angústias


“Não importa quantas vezes, ou em que circunstância me perguntar, vou sempre responder que estou “bem”: Porque a dor do mal da tristeza é sentida. No brilho dos olhos. No abraço apertado que encontra os corações. Angústias transcritas são pouco entendidas. E as minhas palavras não são alento para serem jogadas ao vento, que por ser frio carregar qualquer dor sem sentir o menor rancor.”

Apenas Sendo-11/02/2013- Google+

apenas sendo - vou dizer que sempre estou bem

Deixe um comentário

Arquivado em eu sou assim, POESIA

Reblogando a prosa poética de APENAS SENDO sobre a saudade e ausência


“Hoje nem mesmo o frio que os nimbos trouxeram me acolheu. Hoje nem mesmo o tempo pode prever a minha dor. Hoje o álgido vento trouxe sua saudade, só para me lembrar que eu não sou completo sem você. Hoje te guardo na noite, e te encontro nos meus sonhos […]”

(Apenas Sendo – Google+)

Deixe um comentário

Arquivado em POESIA