Arquivo da tag: minha alma

Recomendo: This Year’s love -David Gray (Boyce Avenue cover)-legenda em PT-BR


“… tenho que saber com certeza porque é preciso mais desta vez do que doces mentiras antes que eu abra os braços e caia perdendo todo o controle, cada sonho dentro de minha alma…” (trecho da música)

Deixe um comentário

Arquivado em JEITO FEMININO, Música, vídeo, vídeos

Recomendo: Call me Maybe -Carly Rae Jepsen (Boyce Avenue acoustic cover)


“eu joguei um desejo no poço, não me pergunte, eu nunca vou dizer…

eu olhei para você quando fiz o pedido e agora você está no meu caminho.

Eu troco minha alma por um desejo, centavos e moedas por um beijo.

Eu não estava procurando por isso, mas agora você está no meu caminho…

eu acabei de te conhecer… isso é loucura…” (trecho da música)

Deixe um comentário

Arquivado em JEITO FEMININO, Música, vídeo, vídeos

Poesia de Negra Noite- ‘TÃO TARDE…” /música: WHEN I NEED YOU – tradução legendada



É tarde… tão noite… tão fria esta noite
A noite que não se tem vela acesa
e a penumbra nada mais é que o começo
de uma ponta do dia…
Há silêncio em toda parte
os cães nem ladram mais
não há lobos famintos a nos procurar
não há luar para nos aclarar.
Tão noite e tão vazio
assim como minha alma…
assim…
como minha alma…
(Negra NOite- 18/12/2012-02:29h)

2 Comentários

Arquivado em eu sou assim, JEITO FEMININO, Música, milena medeiros, POESIA, vídeo, vídeos

Recomendo ver esse vídeo- CORAZON PARTIO- Alejandro Sanz & Ivete Sangalo- Maracanã (com tradução a parte)


CORAÇÃO PARTIO 

Curativos para este coração partido
Curativos para este coração partido

Como vês, não há dois sem três,
Que a vida vai e vem, que ela não pára
E, o que eu sei,
Mas mesmo mentindo, diga que ainda há algo
Entre nós dois,e que em seu quarto
O sol nunca aparece, não existe o tempo
Nem a dor

Me leva, se quiser, à ruína
A nenhum destino, sem nenhum porquê

Eu já sei, coração que não vê
É o coração que não sente
Ou coração que mente, amor
Mas você sabe que no mais profundo da minha alma
Existe aquela dor por acreditar em você
Que foi feito do encanto e da beleza de viver?

Por que me curou quando estava ferido
Se hoje me deixa de novo com o coração partido?

Quem vai entregar suas emoções?
Quem vai me pedir que nunca a abandone?
Quem vai me cobrir se esta noite fizer frio?
Quem me vai curar o coração partido?
Quem vai encher de primaveras este janeiro,
E vai trazer a lua pra a gente brincar?
Diga, se você for embora, diga meu bem
Quem vai curar meu coração partido?

Curativos para este coração partido
Curativos para este coração partido

Dar somente aquilo que te sobra
nunca foi compartir, sim dar esmola, amor.
Se você não sabe, te digo logo eu.
Que depois da tempestade sempre chega a calma.
Mas, sei que depois de você
Depois de você não há nada

Por que me curou quando estava ferido
Se hoje me deixa de novo com o coração partido?

Quem vai entregar suas emoções?
Quem vai me pedir que nunca a abandone?
Quem vai me cobrir se esta noite fizer frio?
Quem me vai curar o coração partido?
Quem vai encher de primaveras este janeiro,
E vai trazer a lua pra a gente brincar?
Diga, se você for embora, diga meu bem
Quem vai curar meu coração partido?

Quem vai me entregar?

(tradução obtida no site LETRAS.MUS.BR)

Deixe um comentário

Arquivado em JEITO FEMININO, Música, milena medeiros, saudade e lembranças no orkut, vídeo

Poesia de Negra Noite- QUANDO DEIXEI O MEU MEDO ME BANIR PARA FORA DE MIM / música: Sinto falta desse amor-Marcus di Cesaris


Foi assim, devagar…

ele foi se aproximando

como não quisesse nada

e me pegou a fundo.

Penetrou em minha alma

e se fez latifundiário de mim.

Não quis negociação

promoveu desavenças

camuflou desejos

e escravizou-me…

Esse medo que invadiu-me

certa vez

fez das loucuras pequenas

grandes loucuras

Deixou-me cega

Intransigente como só

negou-me o direito

de ir e vir em mim mesma.

Fui covarde até

não neguei-lhe quaisquer

provisões

tudo lhe dava sem soberba

e esse MEDO se apoderou

de minhas propriedades

fez dos meus limites

escassos pontos de cerca aramada

fez de minhas terras verdes

com frutas maduras

e flores magestosas

um terreno árido

sem água que se bebesse

até saciar-se da sede.

Sem frutos maduros

da convivência pacífica no dia a dia

sem o labor sadio de mãos cansadas

mas bem alimentadas do amor

divino das colméias

e flores laranjais…

Eu me bani para fora de mim

ao deixar o MEDO

ingressar-me.

Sem o desejo de lutar

com o esmorecimento

até da dúvida-

ela que muitas vezes é bem vinda

e sadiamente esperada …

Fui covarde de mim

Um vassalo desacreditado

uma alma penada

uma memória sem pensamento…

O MEDO foi um dos maiores

coronéis dessa batalha

que eu não me neguei a intransigir…

Doeu muito ver-me diminuir-me

Ver-me menos que o verme

solto e livre trafegando

o caule da árvore

de meu terreno onde eu era

um hóspede não bem vindo.

Meu olhar se fechou por MEDO

O pior foi ver o meu coração

se acovardar e não mais deixar-se amar

Isso foi o pior que fiz a mim

Não permitir-me nunca mais me amar…

E sem me amar 

eu nunca mais AMEI NINGUÉM…

(Negra Noite-10/novembro/2012- em resposta à um alguém que ainda está doente de amor)

Deixe um comentário

Arquivado em eu sou assim, JEITO FEMININO, Música, POESIA, vídeo, vídeos